sábado, 5 de maio de 2012

Não me consumas mais!!!

Não me consumas!
Não me consumas mais!!
Pára de me consumir.
Que tu abusas
Sempre cada vez mais.
Não é fácil digerir,
Pára de me consumir.
Porque já estou farta
De ser o olfacto
Da tua laca e desse spray
Que é de uma marca que eu cá não sei.
Ah, esses teus sais…
Eu já não aguento mais!!
Estou enjoada do teu perfume.
Esse extraído de um raro estrume!
E com esse bac-stick,
Não há nariz que não fique
Saturado de cheirar!
Pára é de me gastar!!
Não me consumas.
Não me consumas mais!
Pára de me consumir!!
Que tu abusas
Sempre cada vez mais.
Não sou coisa nova
Para a tua moda.
Não sou a trança do teu penteado,
Nem o cabide do teu novo fato.
Sempre gostaste de ser
A cópia do geral parecer.
Não sou o espelho da tua vaidade,
Nem a pastilha do teu à vontade.
Não, comigo não!!
Não sou canal de televisão,
Creme de noite, creme de dia.
Um que endurece, outro que amacia.
Tratas muito da fachada.
Por dentro não tratas nada!
Não me consumas!!!!!!!!!!!